HABITAÇÃO DE CHAMUSCA DA BEIRA | CHAMUSCA DA BEIRA | PORTUGAL | 2003

com João Mendes Ribeiro Arquitecto

CLIENTE

DATA DE PROJECTO
ÁREA

 

EQUIPA

 

ARQUITECTURA PAISAGISTA

AUTOR

 

EQUIPA DE PROJECTO

 

 

ARQUITECTURA

AUTOR

 

 

 

 

ENGENHARIAS

 

ESTRUTURAS

 

REDE DE ÁGUAS

 

INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS

INSTALAÇÕES MECÂNICAS

 

COMPORTAMENTO TÉRMICO

COMPORTAMENTO ACÚSTICO

 

FOTOGRAFIA

Luís Vaz Pais

1999-2001 | CONSTRUÇÃO 2002-2003

900 m2

 

 

 

 

Teresa Alfaiate

 

Paulo Palma, Maria Quintino

 

 

 

João Mendes Ribeiro | Coordenação geral da intervenção

Jorge Teixeira Dias | Coordenador de projecto

 

 

 

ECA ECA Eugénio Cunha & Associados

 

Paulo Maranha

 

Luís Filipe Nogueira

 

Luís Besteiro Ribeiro

João Madeira

 

Paulo Sampaio

Diogo Rosa Mateus

 

FG +SG Fernando Guerra , Teresa Alfaiate

Intervenção consiste na requalificação de um conjunto edificado preexistente, com introdução de um novo pavilhão, bem como a dos espaços de jardim e de cultivo que os integram e relacionam.

 

A solução, do edifício e do jardim, sublinha um diálogo com estruturas existentes, nomeadamente aquelas que medeiam as relações com o espaço exterior e permitem situar tipologicamente e localmente a intervenção: o muro; os fornos; o poço; o alinhamento de laranjeiras; ao fundo, o nogueiral e a relação com a paisagem de serra.

 

O espaço de jardim, de cultivo e de mata é pensado numa recorrente tensão com a nova construção, abrindo-se a uma relação mais forte, em circunstâncias precisas e sempre condicionadas. O tanque desenhado junto ao poço, o jogo de desníveis que sustenta o pavilhão construído, em patamares limitados lamelarmente, com aço corten, ou o muro de pedra arrumada à mão que cinta a propriedade, são exemplo desse diálogo entre a arquitectura do jardim e a do espaço edificado. São ainda redesenhados e sistematizados os percursos de acesso e de articulação entre espaços de cultivo e a habitação e a sua extensão sobre o terreno, permitindo deambulações ao longo da linha de drenagem natural e do nogueiral. Os espaços e estruturas criadas asseguram simultaneamente o seu funcionamento e continuidade, nomeadamente a partir do sistema de captação e colecção de água e da revelação e consolidação da morfologia do terreno existente.

Trabalham-se materiais vernaculares ou introduzidos, recuperando alguns sistemas construtivos locais e reinterpretando o seu uso, assumindo uma linguagem contemporânea.

 

PUBLICAÇÕES

 

RIBEIRO , J. M, ALFAIATE, T, ,2007 Arq./, Ed.futur magazine , Lisboa

 

http://www.archdaily.com.br/br/788553/casa-na-chamusca-da-beira-joao-mendes-ribeiro?ad_medium=widget&ad_name=more-from-office-article-show

 

© Copyright 2017 MARGEM arquitectura paisagista · All Rights Reserved