ESCOLA NUNO Álvares | CASTELO BRANCO | PORTUGAL | 2013

com João Mendes Ribeiro Arquitecto

 

Projeto de Requalificação e Ampliação da Escola de Nuno Alvares

CLIENTE

DATA DE PROJECTO
ÁREA

 

 

EQUIPA

 

ARQUITECTURA PAISAGISTA

AUTOR

 

EQUIPA DE PROJECTO

 

 

ARQUITECTURA

AUTOR

 

 

 

 

ENGENHARIAS

 

 

ESTRUTURAS

 

REDE DE ÁGUAS

 

INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS

 

Parque Escolar

2010 -2013 | Projecto Execução Concluído 2013

22 047 m2

 

 

 

 

 

Teresa Alfaiate

 

Paulo Palma, Catarina Filhó

 

 

 

João Mendes Ribeiro | Coordenação geral

 

 

 

 

ECA Eugénio Cunha & Associados | Coordenação Paulo Maranha

 

Paulo Maranha Paulo Sampaio

 

Victor Ribeiro

 

MS  Madeira da Silva  - Engenharia

Luís Besteiro Ribeiro

 

 

 

 

O Projecto de Arquitectura Paisagista constitui uma intervenção desenvolvida no âmbito do Programa de Modernização do Ensino Secundário, promovido pela Parque Escolar e, refere-se aos Espaços Exteriores que enquadram e envolvem a estrutura edificada da Escola Secundária de Nuno Alvares, em Castelo Branco, ampliada e reconvertida.

 

A Escola Secundária Nuno Álvares situa-se num planalto relativamente extenso, entre a elevação do Castelo e o Vale da Ribeira da Pipa, implantando-se numa área da cidade relativamente recente (Sec. XX) onde se concentram actualmente equipamentos, serviços administrativos, do ensino e saúde. Um conjunto linear da Estrutura verde principal da Cidade, já apontada pelo PDM, é sublinhado pela proposta de intervenção na escola. Também a nível mais restrito é ainda reforçada a Av. Nuno Álvares, que estrutura a frente do quarteirão, a Nascente, de arborização continua, e a própria matriz cadastral, dos interiores de quarteirão, formada por extensos quintais, logradouros e outros espaços pontuais, onde o material vegetal está significativamente presente.

Destacam-se como principais princípios do projecto

 

- Uma plantação com maior densidade no limite Norte contribui para o reforço da direcção Poente/Nascente (linha de talvegue), ao nível da cidade, já tendencialmente com maior continuidade de vegetação.

 

- A criação de uma sequência de espaços abertos/plantados que tornam mais coeso o espaço nuclear do quarteirão e reforçam a direcção Norte/Sul, agregando os pátios e patamares que intercalam o conjunto edificado.

 

- A manipulação de um sistema de plantação de geometria regrada, a Sul, e a sua sucessiva flexibilização, no sentido oposto (Norte).

 

- A ligação e articulação dos espaços "nobres" da Escola através do elemento água (um circulo de água) , tirando partido de um ponto adutor existente (o poço), um sistema de caleiras,  e um tanque  colector de agua , que poderá igualmente funcionar como  tanque de Rega.

 

- A articulação dos espaços desportivos através de um passadiço em pedra que contorna a escola o qual relaciona exteriormente as áreas de desporto propostas (pavilhão e campo de saltos, sobrelevando-se sobre a forma de um (banco) na frente destes equipamentos.

 

- A qualificação e reorganização das diferentes entradas e suas ligações aos quarteirões envolventes.

© Copyright 2017 MARGEM arquitectura paisagista · All Rights Reserved